4.9.06

Cobras e lagartos



(Herminio Bello de Carvalho)

Nunca mais vai beber minhas lágrimas
Não vai, não
Me fazer de gato e sapato
Não vai mesmo não
Se eu choro, me lanho, me arranho
Não é de saudade (suponho que não...)
É uma dor que emudece aqui dentro o meu coração
Se eu lembro de tuas palavras
Me vem suor
E o sangue me sobe
A cabeça esquenta
E eu fico pior
Me revolvo em meus travesseiros
E perco o meu sono
Que coisa ruim
Eu só sei que a imagem dele
Pregada na insônia
Não desgruda de mim

9 comentários:

Lili disse...

Oi, Ana! Dói, né? Te deixo um abração bem forte!

Marco Santos disse...

Por trás de uma insônia, tem sempre uma imagem que não se desprega...
Fique com Deus, querida. Um beijo grande.

Tiago disse...

belas, belas imagens, moça. beijo no céu da boca.

Dono do Bar disse...

Hiiii...já vi tudo. Entendo bem o que é isso, amiga. Olha...quase fiz uma lobotomia. Mas o tempo cura...

Beijos!

DB.

Márcia(clarinha) disse...

Glub!:(
Dia bom querida,
beijosssssssssss

Kafé Roceiro disse...

Isso se chama paixão, minha linda!

Sheherazade disse...

Que letra linda, Ana! Não conheço a música, mas conheço o autor, que é um grande poeta.
Tô passando pra te desejar uma primavera bem florida e um beijão!

Lili disse...

Mais aliviada hoje? Outro abraço e o desejo de um lindo dia. Beijos!

Ana Carla disse...

Oi, Lili. Isso tudo é ficcção...rs...


Marco, só mesmo nossa fé nos mantém em pé.


Tiago, meu ídolo.. desse jeito eu não resisto!! He, he...


Senhor Dono do Bar, o tempo ajuda, e você também!! O que aconteceu ontem?


Márcia (Clarinha), acho que vamos ter MUITO o que conversar!! rsrs...


Kafé, o nome eu conheço. Estou procurando é a cura!! rsrs...


Rê, Sheherazade, eu conheço a gravação da Maria Betânia, que ficou sensacional!!!