31.1.07

Trapaças





(Chico Buarque/1989Para o filme Amor vagabundo, de Hugo Carvana)



Contigo aprendi


A perder e achar graça


Pagar e não dar importância


Contigo a trapaça


Por trás da trapaça


É pura elegância


Se deres por falta


Do teu riso esperto


Dos teus sortilégios


Entende e perdoa


Eu ando nas ruas


Com o sol descolado


Da tua pessoa

25.1.07

Um lago




"Um Mestre pediu a um jovem triste que colocasse uma mão cheia de sal num copo d´água e bebesse.
Qual é o gosto? perguntou o Mestre.
Ruim! disse o aprendiz.
O Mestre sorriu e pediu ao jovem que pegasse outra mão cheia de sal e levasse a um lago, e o jovem jogou o sal no lago, então o velho disse: Beba um pouco dessa água.
Bebeu o jovem, o Mestre perguntou: Qual é o gosto?
Bom! disse o rapaz.
Vc sente o gosto do sal?
Não! disse o jovem.
O Mestre sentou ao lado do jovem, pegou sua mão e disse: "A dor na vida de uma pessoa não muda. Mas o sabor da dor depende de onde a colocamos.
Então quando sentir dor a única coisa que deve fazer é aumentar o sentido das coisas.
Deixe de ser um copo. Torne-se um lago"


(Desconheço a autoria)




21.1.07

MÃE GAIVER

Amigos... tive um final de semana tão atarefado!!! Ainda bem que, com sorte e um pouco de criatividade, consegui resolver um monte de coisinhas. Tanto, que Gabriel hoje me chamou de "MãeGaiver". Eu também demorei pra fazer a conexão com... Magaiver, aquele que resolvia tudo com um grampo de cabelos, lembra? He, He... Fiquei toda orgulhosa de mim mesma!
Aqui continua chovendo bastante, e sei que em junho (quando a umidade do ar baixar a menos de 5%) sentiremos saudade.
Que a semana seja assim, produtiva e bem humorada!

19.1.07

Ops!

Pessoal, parece que a crônica que transcrevi abaixo como sendo do Jabor não é do Jabor.
O Emerson Coimbra colocou alguns links no comentário... verifiquem.
De qualquer forma, continuo achando o texto legal.
E isso prova que a Regina é coerente (leiam o comentário dela, rs...)!
Senhor Dono do Bar: estou com saudade!
Armando: sou feliz, gostosa e (modéstia às favas) interessante. Mas sou feia.
Marco: você é meu ídolo!
Márcia Clarinha Querida : que inveja dessa onda de paixão!
Lili: humilha!!! Hehehe...
Sheila: cuida do barrigão, mulher!
Chefe Ordisi: cadê você??
Claudinha: parece que a chuva está judiando aí pro seu lado, também. Beijão!
Marilyn, espero que esteja melhor!
Kafé... vc também entrou em recesso?
Paulo, daqui e de lá... vc é a água em pessoa! Um rio inteiro!
Leão, meu leãozinho... quando vai publicar seu blog??
Valéria... smack!!!!
Jack, pra vc o meu olhar 43.
Markus, Márcio, Tiago, Hank, Andréa... vocês são especias.
Não vou falar de todos!!
Enfim, isso era pra ser uma errata e virou mural de recados!!
Beijos!!

Ops!

Pessoal, parece que a crônica que transcrevi abaixo como sendo do Jabor não é do Jabor.
O Emerson Coimbra colocou alguns links no comentário... verifiquem.
De qualquer forma, continuo achando o texto legal.
E isso prova que a Regina é coerente (leiam o comentário dela, rs...)!
Senhor Dono do Bar: estou com saudade!
Armando: sou feliz, gostosa e (modéstia às favas) interessante. Mas sou feia.
Marco: você é meu ídolo!
Márcia Clarinha Querida : que inveja dessa onda de paixão!
Lili: humilha!!! Hehehe...
Sheila: cuida do barrigão, mulher!
Chefe Ordisi: cadê você??
Claudinha: parece que a chuva está judiando aí pro seu lado, também. Beijão!
Marilyn, espero que esteja melhor!
Kafé... vc também entrou em recesso?
Paulo, daqui e de lá... vc é a água em pessoa! Um rio inteiro!
Leão, meu leãozinho... quando vai publicar seu blog??
Valéria... smack!!!!
Jack, pra vc o meu olhar 43.
Markus, Márcio, Tiago, Hank, Andréa... vocês são especias.
Não vou falar de todos!!
Enfim, isso era pra ser uma errata e virou mural de recados!!
Beijos!!

16.1.07

DRA. ROSA x ADRIANE GALISTEU

Recebi este texto por e-mail do meu ídolo Marco, do Antigas Ternuras. Aliás, o Marco já está virando sócio benemérito aqui do pedaço, hehehe...

Crônica : Arnaldo Jabor

Será que a opinião pública está tão interessada assim na visão
que Narcisa Tamborindeguy ou Adriane Galisteu têm da vida? A julgar pelo
espaço que a mídia dedica a esse tipo de formador (?????) de opinião, o
Brasil virou um imenso Castelo de Caras. Adriane Galisteu, após o seu
casamento relâmpago, falou às páginas amarelas de "Veja" e deu aula magna de
insensibilidade, egoísmo e...sinceridade!
Estranha mistura, mas a moça tem razão quando se diz sincera. Ela não
engana, revela-se de corpo (e que corpo!) inteiro, e o retrato que aparece é
assustador! Adriane teve uma infância atribulada, perdeu o pai aos 15 anos,
ainda pobre, e um irmão com AIDS quando já não era tão pobre. "Eu não tinha
um tostão, não tinha dinheiro para comprar um pastel. Meu irmão estava
doente. Minha mãe ganhava 190 reais do INSS, meu pai já tinha morrido. Eu
sustentava todo mundo e não tinha poupança alguma".
Peço licença a Adriane, mas vou falar de outra infância triste de
mulher, a de Rosa Célia Barbosa. Seu perfil - admirável - surgiu em recente
reportagem da "Vejinha" sobre os melhores médicos do Rio de Janeiro.
Alagoana, pequena, 1m50cm, começou a sua odisséia aos sete anos. Largada num
orfanato em Botafogo, Rosa Célia chorou durante meses. "Toda a mulher de
saia eu achava
que era a minha mãe que vinha me buscar. Depois de um tempo, desisti.".
Voltemos a Adriane Galisteu. Ela é rica, bem sucedida, e "nem na metade da
escada ainda". A escada, não deixa de ser uma boa imagem para alguém que -
como uma verdadeira Scarlet O´Hara de tempos neoliberais (muito mais neo que
liberais) - resolveu que nunca mais vai passar fome. Até aí, tudo bem; mas é
desconcertante ver como o sofrimento pode levar à total insensibilidade.
Pergunta da repórter a Adriane se ela faria algo para o bem do outro:
"Para o bem do outro? Não, só faço pelo meu bem. Essa coisa de dar sem
cobrar, dar sem pedir, não existe. Depois, você acaba jogando isso na cara
do outro." (N.R. Ayrton Senna, que a Galisteu conheceu muito bem, fazia caridade e não "jogava na cara" de ninguém. Só descobriram as bondades que fazia depois que ele morreu)
"Você nunca cede, então?" "Cedo, claro que cedo. Já cedi em coisas que não
afetam a minha vida. Ele gosta de dormir em lençol de linho e eu gosto de
dormir em lençol de seda. Aí dá para ceder..."
Rosa Célia fez vestibular de medicina quando morava de favor num
quartinho e trabalhava para manter-se. Formou-se e resolveu dedicar-se à
cardiologia neonatal e infantil, quando trabalhava no Hospital da Lagoa. Sem
saber inglês, meteu na cabeça que teria que estudar no National Heart
Hospital, em Londres, com Jane Sommerville, a maior especialista mundial no
assunto.
Estudou inglês e conseguiu uma bolsa e uma carta da Dra. Sommerville. Em
Londres, era gozada pelos colegas ingleses por causa de seu inglês jeca.
Ganhou o respeito geral quando acertou um diagnóstico difícil numa paciente
escocesa, após examiná-la por oito horas seguidas. "Ela falava um inglês
ainda pior do que o meu", lembra Rosa Célia divertida.
Adriane Galisteu está rica, mas não confia em ninguém, salvo na mãe.
Nem nos amigos. Vejam: "Eu não posso sair confiando nas pessoas". Não tenho
motorista, nem segurança, por isso mesmo. É mais gente para te trair Eu
confio mais nos bichos do que nas pessoas. Ainda existem pessoas que acham
que eu tenho amnésia. Muitas das que convivem comigo hoje já me viraram a
cara quando estava por baixo. Mas você pensa que eu as trato mal? Trato com
a maior naturalidade. Porque elas podem até me usar, mas eu vou usá-las
também. "É uma troca."
De Londres, Rosa Célia iria direto para Houston, nos Estados Unidos. Fora
escolhida e convidada para a Meca da cardiologia mundial. Futuro brilhante a
aguardava. Uma gravidez inesperada atrapalhou o sonho. Pediu 24 horas para
pensar e optou pelo filho, voltando ao Rio de Janeiro. Reassumiu seu cargo
no Hospital da Lagoa e abriu consultório. Mas todo ano viaja para estudar.
Passa no mínimo um mês no Children´s Hospital, em Boston, trabalhando 12
horas por dia. "Você gosta de dinheiro, (Adriane)?" "Adoro dinheiro e
detesto hipocrisia".
Gasto, gosto de gastar, gosto de não fazer conta, de viajar de primeira
classe. Tem gente que fala: esse dinheiro que ganhei eu vou doar... O meu eu
não dôo não. O meu eu dôo é para a minha conta. Eu adoro fazer o bem, mas
também tenho minhas prioridades: minha casa, minha família. Primeiro vou
ajudar quem está mais próximo. "Mas faço minhas campanhas beneficentes."
Rosa Célia atualmente chefia um sofisticadíssimo centro cardiológico, o
Pró-Cardíaco. Lá são tratados casos limite, histórias tristes. O hospital é
privado e caríssimo, mas ela achou um jeito de operar ali crianças sem
posses. Criou uma ONG, passa o chapéu, fala com amigos e com empresários. O
seu Projeto Pró-Criança já atendeu mais de 500, e 120 foram operadas. Sonhei
a vida inteira e fiz. Não importou ser pobre, mulher, baixinha, alagoana.
Eu fiz."
Voltemos a Adriane Galisteu e esbarraremos, brutalmente, na
frustração. Já tive vontade de viajar e não podia. Queria ter um carro e não
tinha. Queria ter feito uma faculdade e não tive Dinheiro. Não que eu sinta
falta de livros, porque livro a gente compra na esquina, e conhecimento a
gente adquire na vida. Eu sinto falta é de contar para os amigos essas
histórias que todo mundo tem, do tempo da faculdade.
Duas vidas, dois perfis fora da normalidade, matéria-prima para os
órgãos de imprensa. Mas qual é a mais valorizada pela mídia hoje em dia? É
fácil constatar e chegar à conclusão de que há algo muito errado com a nossa
sociedade. Pode ser até que o leitor tenha interesse mórbido em saber o que
as louras e morenas burras ou muito espertas andam fazendo, mas a mídia não
deve limitar-se a refletir e a conformar-se com a mediocridade, o vazio, o
oportunismo e a falta de ética. Os órgãos de imprensa devem ter um papel
transformador na sociedade e, nesse sentido, estaríamos melhor servidos se
houvesse mais Rosas Célias nos jornais, nas revistas e TVs que nos cercam.
Voltando ao Castelo de Caras, as belas Adrianes, Narcisas, Lucianas,
Suzanas ou Carlas, certamente encontrarão lá um espelho mágico... Se for
mesmo mágico dirá que Rosa Célia é mais bela do que todas vocês
(Também é do Marco o recado: Se você gostou, caro Amigo, divulgue. Vamos multiplicar e fazer a nossa parte num programa de Fome Zero de Cultura.)

15.1.07

Piadinha (pra variar)



(Quem me mandou essa foi a Maísa. Beijão, Amiga!)

A ROSA E A COUVE FLOR
Um dia, a rosa encontrou a couve-flor e disse:
Que petulância te chamarem de Flor !
Veja sua pele áspera e a minha lisa e sedosa... Seu cheiro desagradável e meu perfume sensual e envolvente. Veja seu corpo grosseiro e o meu delicado e elegante... Eu, sim, sou uma flor!
E a couve-flor respondeu:
HELLOOOWW, QUERIDA!!! DE QUE ADIANTA SER TÃO LINDA SE NINGUÉM TE COME !?

Fala sério, auto-estima é tudo !

14.1.07

Saudade - Miguel Falabella


Trancar o dedo numa porta dói.
Bater com o queixo no chão dói.
Torcer o tornozelo dói.
Um tapa, um soco, um pontapé, doem.
Dói bater a cabeça na quina da mesa,
dói morder a língua,
dói cólica, cárie e pedra no rim.
Mas o que mais dói é a saudade.
Saudade de um irmão que mora longe.
Saudade de uma cachoeira da infância.
Saudade de um filho que estuda fora.
Saudade do gosto de uma fruta que
não se encontra mais.
Saudade do pai que morreu,
do amigo imaginário que nunca existiu.
Saudade de uma cidade.
Saudade da gente mesmo, que o tempo não perdoa.
Doem essas saudades todas.
Mas a saudade mais dolorida
é a saudade de quem se ama.
Saudade da pele, do cheiro, dos beijos.
Saudade da presença, e até da ausência consentida.
Você podia ficar na sala e ela no quarto, sem
se verem, mas sabiam-se lá.
Você podia ir para o dentista e ela para a faculdade,
mas sabiam-se onde.
Você podia ficar o dia sem vê-la, ela o dia sem
vê-lo, mas sabiam-se amanhã.
Contudo, quando o amor de um acaba, ou torna-se
menor, ao outro sobra uma saudade que ninguém sabe
como deter.
Saudade é basicamente não saber.
Não saber mais se ela continua fungando
num ambiente mais frio.
Não saber se ele continua sem fazer a barba por causa
daquela alergia.
Não saber se ela ainda usa aquela saia.
Não saber se ele foi na consulta com o dermatologista
como prometeu.
Não saber se ela tem comido bem por causa
daquela mania de estar sempre ocupada;
se ele tem assistido às aulas de inglês,
se aprendeu a entrar na Internet
e encontrar a página do Diário Oficial;
se ela aprendeu a estacionar entre dois carros;
se ele continua preferindo Malzebier;
se ela continua preferindo suco;
se ele continua sorrindo com aqueles olhinhos apertados;
se ela continua dançando daquele jeitinho enlouquecedor;
se ele continua cantando tão bem;
se ela continua detestando o MC Donald's;
se ele continua amando;
se ela continua a chorar até nas comédias.
Saudade é não saber mesmo!
Não saber o que fazer
com os dias que ficaram mais compridos;
não saber como encontrar tarefas
que lhe cessem o pensamento;
não saber como frear as lágrimas diante de uma música;
não saber como vencer a dor
de um silêncio que nada preenche.
Saudade é não querer saber se ela está com outro,
e ao mesmo tempo querer.
É não saber se ele está feliz,
e ao mesmo tempo perguntar a todos os amigos.
É não querer saber se ele está mais magro,
se ela está mais bela.
Saudade é nunca mais saber de quem se ama,
e ainda assim doer...
Saudade é isso que senti
enquanto estive escrevendo
e o que você, provavelmente, está sentindo
agora depois que acabou de ler.


13.1.07

NÃO QUERO (Mário Quintana)


"Não quero alguém que morra de amor por mim... Só preciso de alguém que viva por mim, que queira estar junto de mim,me abraçando.
Não exijo que esse alguém me ame como eu o amo, quero apenas que me ame, não me importando com que intensidade.
Não tenho a pretensão de que todas as pessoas que gosto, gostem de mim...
Nem que eu faça a falta que elas me fazem, o importante pra mim é saber que eu, em algum momento, fui insubstituível...
E que esse momento será inesquecível...Só quero que meu sentimento seja valorizado.
Quero sempre poder ter um sorriso estampando em meu rosto, mesmo quando a situação não for muito alegre...
E que esse meu sorriso consiga transmitir paz para os que estiverem ao meu redor.
Quero poder fechar meus olhos e imaginar alguém...e poder ter a absoluta certeza de que esse alguém também pensa em mim quando fecha os olhos, que faço falta quando não estou por perto.
Queria ter a certeza de que apesar de minhas renúncias e loucuras,alguém me valoriza pelo que sou, não pelo que tenho...
Que me veja como um ser humano completo, que abusa demais dos bons sentimentos que a vida lhe proporciona, que dê valor ao que realmente importa, que é meu sentimento... e não brinque com ele.
E que esse alguém me peça para que eu nunca mude, para queeu nunca cresça, para que eu seja sempre eu mesmo.
Não quero brigar com o mundo, mas se um dia isso acontecer, quero ter forças suficientes paramostrar a ele que o amor existe... Que ele é superior ao ódio e ao rancor, e que não existe vitória sem humildade e paz.
Quero poder acreditar que mesmo se hoje eu fracassar, amanhã será outro dia, e se eu não desistir dos meus sonhos e propósitos, talvez obterei êxito e serei plenamente feliz.
Que eu nunca deixe minha esperança ser abalada porpalavras pessimistas...
Que a esperança nunca me pareça um "não" que a gente teima em maquiá-lo de verde e entendê-lo como "sim".
Quero poder ter a liberdade de dizer o que sinto a uma pessoa, de poder dizer a alguém o quanto ele é especial e importante pra mim, sem ter de me preocupar com terce
iros...
Sem correr o risco de ferir uma ou mais pessoas com esse sentimento. Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão... que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades a às pessoas, que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim...e que valeu a pena!!!"

9.1.07

Tá todo mundo louco

Composição de Sílvio Brito - você se lembra? rs...

"Essa musica foi feita num momento de depressão
Eu tava com saco cheio com raiva da vida ,com raiva de tudo
Eu fiz essa música pra encher o saco de todo mundo
É uma musica sem graça, sem métrica, sem rima,sem ritmo, com muitos erros de português
Agora ninguém tem nada com isso, porque a musica é minha eu faço dela o que eu quiser.

Eu fiz tudo pra não fazer um plágio mas ela saiu muito parecida com a musica do Raul Seixas.
Oh mas não tem nada não porque não foi feita pra fazer sucesso, nem pra se apresentada num programa de televisão.
Eu até coloquei uma frase em inglês pra valorizar a musica “I Love You”
É uma dessas musicas chatas, enjoada, sem graça que a gente faz pra participar de festival.

Você que tá ouvindo essa musica num tem nada com isso deve tá me achando um chato ,enjoado, não liga “prisso” , não liga “prisso” não, não liga prisso não.
Que é a cabeça irmão, é a cabeça irmão,é a cabeça irmão, mas que depressão
É a cabeça irmão, é a cabeça irmão, mas que confusão
É a cabeça irmão, é a cabeça irmão desafinação, é a cabeça irmão, é a cabeça irmão.

Tá todo mundo louco, oba“Tube ri din din, din din, tube ri din din, din din” (6 vezes)

Tudo esta ficando diferente ninguém vê!
Já estou cansado de ouvir você dizer
Que eu não sei fumar, que eu não sei beber, que eu não sei cantar
Aquilo tudo que você adora ouvir e eu não sirvo pra você , por que?
Eu não sei cantar inglês ,por que? Eu não sei cantar inglês, eh

Tá todo mundo louco, oba“Tube ri din din, din din, tube ri din din, din din” (6 vezes)

Já não compreendo a razão do desamor
Nem entendo porque ninguém fala mais o amor
Você me traiu e disse que é normal
Um a um todos irão por certo acompanhar a evolução e quase que eu fiquei pra trás
Por que?, fui querer ser bom rapaz, por que? Fui querer ser bom rapaz, eh

Ta todo mundo louco, oba... (nove vezes) "


1.1.07

2007

De acordo com meu amigo Andy (linkado aí ao lado), os japoneses dizem "OMEDETÔ GOZAIMASU" para desejar bom ano novo, mas só fazem isso quando passa o dia 1, nunca é antes, pois acham que de véspera nada dá certo. Também foi o Andy quem me enviou esses recortes aí de baixo.
Que 2007 seja muito bom pra todos nós!

"E sonho esse sonho que se estende em rua, em rua em rua em vão."
(Lucia Villares: Papos de Anjo)

"Eu vejo o mundo da forma mais sentimental possível. Acredito que a base de tudo é o relacionamento entre as pessoas. Por isso, gosto de observar o comportamento humano. Adoro conhecer gente nova, costumes diferentes. O mundo, para mim, é feito da troca de palavras, carinhos, ódios, secreções, amor entre as pessoas. E, claro, sem a música pop o mundo estaria literalmente perdido. Porque acredito que a maior expressão de tudo isso é a música. Mais que pintura, mais que literatura, mais que tudo. Nada traz mais sentimento para mim do que um bom riff de guitarra" - André Takeda

"-Você sabe o que eu quero ser? - perguntei a ela. Sabe o que é que eu queria ser? Se pudesse fazer a merda da escolha?" Seja lá como for, fico imaginando uma porção de garotinhos brincando de alguma coisa num baita campo de centeio e tudo... E eu fico na beirada de um precipicio maluco. Sabe o que eu tenho de fazer? Tenho que agarrar todo mundo que vai cair no abismo. Quer dizer, se um deles começar a correr sem olhar onde estáindo, eu tenho que aparecer de algum canto e agarrar o garoto. Só isso que eu ia fazer o dia todo. Ia ser o apanhador no campo de centeio ." J.D.Salinger ["O Apanhador no Campo de Centeio]"


" Tudo está quieto no Dia de Ano Novo,
um mundo em branco está em andamento,
e eu quero estar com você,
estar com você noite e dia,
nada muda no Dia de Ano Novo, no Dia de Ano Novo,
Eu estarei com você de novo (...) "
U2