30.8.06


NUNCA (Lupcínio Rodrigues)
Nunca
Nem que o mundo caia sobre mim
Nem se Deus mandar nem mesmo assim
As pazes contigo eu farei
Nunca
Quando a gente perde a ilusão
Deve sepultar o coração
Como eu sepultei
Saudade
Diga à esse moço por favor
Como foi sincero o meu amor
O quanto eu adorei tempos atrás
Saudade
Não esqueça também de dizer
Que é você quem me faz adormecer
Pra que eu viva em paz

29.8.06

Serenatas

Vocês sabem que eu ainda sou uma menina. Vivi minha adolescência na década de 80, frequentando discoteques com luz estroboscópica (uau!) e globo de espelhos.

Naquele tempo as serenatas já tinham caído em desuso. No entanto...

Você também sabem que moro numa cidadezinha do interior, onde alguns costumes são preservados. E se isso é por demais conservador em alguns pontos, noutros é deliciosamente aconchegante!

O fato é que na década de 80, em Jardinópolis, ainda se fazia serenata, e eu recebi algumas ma-ra-vi-lho-sas!!

Tina serenatas-surpresa e serenatas-anunciadas. Quando os garotos avisavam "vamos fazer serenata na sua casa hoje à noite", era de bom tom deixar algumas guloseimas na mesa da varanda: quando minha casa estava no início do roteiro (e isso também era avisado) eu deixava alguma bebida no balde de gelo (martini, cervejas ou vinho) e petiscos (amendoins, azeitonas, patês).

Quando o caminho era inverso, eles chegavam na minha janela com o dia já clareando, e eu deixava sobre a mesa uma boa garrafa de café, frutas, pães... Houve oportunidade em que minha mãe (no fundo, outra menina crescida) preparou uma canja tão gostosa para os seresteiros, que na semana seguinte o violonista tinha ido viajar e o resto da truma fez serenata com radinho de pilha, pra ver se conquistava outra canja!! rs... Abri a janela e me deparei com uma dúzia de marmanjos segurando um radinho de pilhas que mais chiava do que tocava uma moda caipira, todos olhando com cara de "cachorro pidão" !

Mas também havia a surpresa. O coração disparado na madrugada, quando o primeiro acorde era tocado. A voz era quase sempre a mesma (e eu nunca soube se o único músico da turma chantageava os amigos ou cantava em todas as janelas por puro prazer)... Tínhamos que controlar a ansiedade e esperar o final da primeira música para acender a luz.

Enquanto a segunda música era executada, a gente tentava adivinhar "de quem e para quem" era a serenata. Sim, porque na minha casa, durante as férias e finais de semana prolongados (quando normalmente as serenatas aconteciam), dormíamos eu, minha irmã e mais quatro primas, todas na mesma faixa etária. Era muita mulher junta!! rs...

Depois vinha a avaliação: abrir ou não abrir a janela. Ô dúvida!!
Que saudade boa! Obrigada Ninão, Barata, Cascão, Passarinho, Melão, Ratinho, Pé-Mole, Tula, e todos os outros. Vocês ajudaram a fazer de mim essa mulher feliz!!

27.8.06

Contra a violência e pela reforma da segurança pública e reforma prisional





Mensagem dos Bispos da Província de São Paulo

Caros irmãos e irmãs de nossas dioceses, paróquias e comunidades!

A Paz de Cristo esteja convosco! Desde maio passado, o nosso Estado de São Paulo, principalmente as cidades da Grande São Paulo e arredores, foram vítimas de numerosos e violentos ataques por parte do crime organizado, primeiro contra as forças de segurança do Estado e depois também contra a sociedade civil e suas instituições. As polícias do Estado reagiram em sua própria defesa e em defesa dos cidadãos. Não podemos deixar de apoiar as ações da polícia em favor da segurança, que é direito do cidadão. Contudo, daí resultaram muitos feridos e mortos brutalmente, de ambos os lados, entre os quais, segundo diversas denúncias, também inocentes. Por isso, com razão, está em curso uma investigação ampla por parte do Poder Público para apurar e punir todo tipo de crime, que tenha ocorrido. Não podemos deixar de assinalar que os ataques do crime organizado continham também ingredientes de terrorismo, ou seja, tentativas de aterrorizar a sociedade, atacando civis inocentes, instituições e serviços públicos, incendiando ônibus, seqüestrando jornalistas para extorquir a publicação de manifesto.

Diante destes fatos, queremos primeiro dizer que repudiamos toda esta violência desencadeada pelo crime organizado e suas causas profundas. Rezamos e nos solidarizamos com todas as pessoas e famílias, de ambos os lados do conflito, que sofreram violência ou tiveram pessoas inocentes assassinadas dentre seus familiares, parentes ou amigos.

Em segundo lugar, queremos declarar que:

1. É preciso repudiar vigorosamente e sempre todo tipo de violência, venha de onde vier. Violência só gera violência e destrói a paz.

2. É preciso construir incansavelmente a paz. Diz São Paulo: "Não te deixes vencer pelo mal, vence antes o mal com o bem" (Rm 12,21). É preciso educar para uma cultura de paz e nesta educação tem papel importante a família, a escola, a Igreja e os grandes meios de comunicação. Disse Jesus: "Bem-aventurados os que promovem a paz" (Mt 5,9).

3. É preciso rezar pela paz, pois a paz é também graça de Deus, que contudo exige nossa colaboração, pois somos responsáveis pela construção da nossa história e a transformação de nossa sociedade, segundo os critérios do Reino de Deus. Os anjos cantaram na noite de Natal: "Paz na terra aos homens que Deus ama", aos homens de boa vontade (Lc 2,14).

4. Além disso, precisamos exigir do Poder Público, entre outras reformas, a Reforma da Segurança Pública. Isso requer investir mais em qualificar e aparelhar nossas polícias e dar-lhes uma remuneração mais justa. Requer também investir muito e com urgência na organização de um qualificado e amplo Serviço de Inteligência das forças de segurança pública para combater a criminalidade e, principalmente, o crime organizado.

5. Ao mesmo tempo, é urgente exigir também a Reforma Prisional. Vale lembrar que o Estado de São Paulo é o Estado que, proporcionalmente, mais prende criminosos. Isso é bom, porque os delinqüentes precisam ser detidos, julgados, punidos e recuperados. Contudo, para colocar todos na prisão seria necessário que o Estado construísse uma nova prisão cada mês. Isso demonstra que há algo de profundamente errado. Se olharmos mais de perto a situação, veremos que há diversas reformas que deveriam ser feitas. Primeiro, os que foram detidos precisam ser julgados mais rapidamente para que possam sair da detenção os que forem absolvidos. Os que forem condenados certamente não precisam todos pagar sua pena na prisão. Na opinião de muitos peritos na área, mais da metade poderia pagar seu crime com penas alternativas fora da prisão. Desse modo, além de diminuir a superlotação das prisões, se evitaria que tantos entrassem na escola do crime em que se transformaram nossas prisões e se filiassem ao crime organizado. Além disso, hoje há milhares de presos que já cumpriram sua pena, mas continuam presos por falta de defensores públicos e lentidão da justiça em liberar os alvarás de soltura ou promover a progressão da pena. Além disso, há urgente necessidade de humanizar as prisões. As condições desumanas e injustas em que vivem os presos constituem um dos fatores do fortalecimento do crime organizado, das rebeliões, dos assassinatos dentro das prisões e tantos outros males que mostram como nosso sistema penitenciário é altamente deteriorado e muitas vezes cruelmente injusto. Na realidade, a verdadeira paz é "obra da justiça" (Is 32,17).

Caros irmãos e irmãs! Diante dos ataques violentos do crime organizado em São Paulo, a sociedade não pode aceitar o medo e tornar-se refém dos criminosos. É preciso continuar a vida normal, ainda que tomando novos cuidados para não ser alcançado pela criminalidade. Ao mesmo tempo, precisamos procurar e arrancar pela raiz as causas profundas que estão na origem da organização do crime, de seus intentos e métodos. Precisamos exigir do Poder Público as reformas necessárias. Precisamos ser mais solidários com os pobres combatendo a miséria, a fome e a marginalização social, que constituem uma enorme injustiça social e até mesmo levam pessoas a buscar ajuda junto ao mundo do crime. Precisamos viver e propor com mais clareza e eficiência os valores éticos, espirituais e religiosos, cuja perda causou e causa enorme prejuízo para as famílias, a juventude e a sociedade em geral.

Peçamos a Deus o dom da paz! Jesus Cristo, o Príncipe da Paz, nos ensina o caminho da construção da paz, que é fruto da justiça, do direito, do respeito pelos outros, do diálogo, do perdão mútuo, da colaboração. Ele nos disse: "Como eu vos amei, amai-vos também uns aos outros" (Jo 13,34). Não nos cansemos de amar, praticar a justiça e o direito, perdoar e fazer o bem. Então, a paz encontrará fundamentos duradouros. Deus nos abençoe a todos e nos guarde de todo mal! Nossa Senhora Rainha da Paz interceda por nós!

São Paulo, 15 de agosto de 2006.

Assinam os Bispos da Província Eclesiástica de São Paulo:
- Cardeal Dom Cláudio Hummes, Arcebispo Metropolitano de São Paulo - Dom Nelson Westrupp, Bispo de Santo André e Presidente da CNBB Sul 1 - Dom Emílio Pignoli, Bispo de Campo Limpo - Dom Fernando Legal, Bispo de São Miguel Paulista - Dom Fernando Antonio Figueiredo, Bispo de Santo Amaro - Dom Ercílio Turco, Bispo de Osasco - Dom Luiz Bergonzini, Bispo de Guarulhos - Dom Jacyr Francisco Braido, Bispo de Santos - Dom Airton José dos Santos, Bispo de Mogi das Cruzes - Dom Odilo Pedro Scherer, Bispo Auxiliar de São Paulo e Secretário Geral da CNBB - Dom Manuel Parrado Carral, Bispo Auxiliar de São Paulo - Dom Pedro Luiz Stringhini, Bispo Auxiliar de São Paulo - Dom José Benedito Simão, Bispo Auxiliar de São Paulo - Dom Tomé Ferreira da Silva, Bispo Auxiliar de São Paulo - Dom Joaquim Justino Carreira, Bispo Auxiliar de São Paulo - Dom João Mamede Filho, Bispo Auxiliar de São Paulo


Eu sei que somos aquele beija-flor com uma gota de água no bico, lutando contra o incêndio da floresta. Mas eu creio que nossa gota fará a diferença. Bom domingo!

24.8.06

Verdades do Mau Humor

(Texto creditado a Lula Vieira - publicitário)

Não me lembro direito, mas li numa revista, acho que na Carta Capital, um artigo levantando a hipótese de que todo o cara que tem mania de fazer aspas com os dedinhos quando faz uma ironia é um chato.
Num outro artigo alguém escreveu que achava que jamais tinha conhecido um restaurante de boa comida com garçons vestidos de coletinho vermelho. Joaquim Ferreira dos Santos, em "O Globo" de domingo, fala do seu profundo preconceito com quem usa "agregar valor". Eu posso jurar que toda mulher que anda permanentemente com uma garrafinha de água e fica bebendo de segundo em segundo é uma chata. São preconceitos, eu sei. Mas cada vez mais a vida está confirmando estas conclusões.
Um outro amigo meu jura que um dos maiores indícios de babaquice é usar o paletó nos ombros, sem os braços nas mangas. Por incrível que pareça, não consegui desmentir. Pode ser coincidência, mas até agora todo cara que eu me lembro de ter visto usando o paletó colocado sobre os ombros é muito babaca.
Já que estamos nessa onda, me responda uma coisa: você conhece algum natureba radical que tenha conversa agradável? O sujeito ou sujeita que adora uma granola, só come coisas orgânicas, faz cara de nojo à simples menção da palavra "carne", fica falando o tempo todo em vida saudável é seu ideal como companhia numa madrugada? Sei lá, não sei. Não consigo me lembrar de ninguém assim que tenha me despertado muita paixão.
Eu ando detestando certos vícios de linguagem, do tipo "chegar junto", "superar limites", essas bobagens que lembram papo de concorrente a big brother. Mais uma vez, repito: acho puro preconceito, idiossincrasia, mas essa rotulagem imediata é uma mania que a gente vai adquirindo pela vida e que pode explicar algumas antipatias gratuitas.
Tem gente que a gente não gosta logo de saída, sem saber direito por quê. Vai ver que transmite algum sintoma de chatice. Tom de voz de operador de telemarketing lendo o script na tela do computador e repetindo a cada cinco palavras a pressão "senhoooorrr" me irrita profundamente. Se algum dia eu matar alguém, existe imensa possibilidade de ser um flanelinha. Não posso ver um deles que o sangue sobe à cabeça. Deus que me perdoe, me livre e me guarde, mas tenho raiva menor do assaltante do que do cara que fica na frente do meu carro fazendo gestos desesperados tentando me ajudar em alguma manobra, como se tivesse comprado a rua e tivesse todo o direito de me cobrar pela vaga.
Sei que estou ficando velho e ranzinza, mas o que se há de fazer? Não suporto especialista em motivação de pessoal que obrigue as pessoas a pagarem o mico de ficar segurando na mão do vizinho, com os olhos fechados e tentando receber "energia positiva". Aliás, tenho convicção de que empresa que paga bons salários e tem uma boa e honesta política de pessoal não precisa contratar palestras de motivação para seus empregados. Eles se motivam com a grana no fim do mês e com a satisfação de trabalham numa boa empresa. Que me perdoem todos os palestrantes que estão ficando ricos percorrendo o país, mas eu acho que esse negócio de trocar fluidos me lembra putaria.
E para terminar: existe qualquer esperança de encontrar vida inteligente numa criatura que se despede mandando " um beijo no coração "?

23.8.06

Peixe fora d´água


(Pra constar: está mesmo difícil até de respirar. Tenho a impressão de que hoje - 23/08/2006 - está ainda pior.)

21/08/2006
Umidade do ar cai a 4,7% em Ribeirão
Agencia Estado
A umidade relativa do ar em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, chegou hoje à mínima de 4,7%, um dos índices mais baixos da história na cidade. Os dados da estação meteorológica local, utilizados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), apontaram esse índice às 16 horas. Por volta das 19 horas, a umidade do ar atingia 9,8%, ainda considerado estado de emergência.O presidente da Comissão Municipal da Defesa Civil de Ribeirão Preto, Érick Cunha Junqueira, solicitou a interrupção de qualquer atividade física ao ar livre e orientou que sejam evitadas atividades que exijam aglomerações de pessoas em recintos fechados, como aulas e cinemas, entre as 10 e 16 horas. Na rede municipal de educação, as atividades físicas foram suspensas.A Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo voltou a proibir a queima da palha de cana nas regiões administrativas de Ribeirão Preto, Araraquara, São José do Rio Preto, Araçatuba, Marília e Barretos. A queima havia sido retomada ontem. A proibição é válida para qualquer período do dia, enquanto persistirem as condições atuais. De acordo com os dados diários do monitoramento utilizados pela Secretaria, todas as regiões que tiveram a queima proibida apresentaram níveis de umidade abaixo de 15%.

22.8.06

sugestões para atravessar agosto

(OK! Sei que já estamos no final do mês... mas sou pisciana, distraída, enfim... perdoem-me!)

caio fernando abreu (6/8/1995 - para o jornal o estado de são paulo)

Para atravessar agosto é preciso, antes de tudo, paciência e fé. Paciência para cruzar os dias sem se deixar esmagar por eles, mesmo que nada aconteça de mau; fé para estar seguro, o tempo todo, que chegará setembro - e também certa não-fé, para não ligar a mínima às negras lendas deste mês de cachorro louco. É preciso quem sabe ficar-se distraído, inconsciente de que é agosto, e só lembrar disso no momento de, por exemplo, assinar um cheque e precisar da data. Então dizer mentalmente ah! Escrever tanto de tanto de mil novecentos e tanto e ir em frente. Este é um ponto importante: ir, sobretudo, em frente.

Para atravessar agosto também é necessário reaprender a dormir, dormir muito, com gosto, sem comprimidos, de preferência também sem sonhos. São incontroláveis os sonhos de agosto: se bons, deixam a vontade impossível de morar neles, se maus, fica a suspeita de sinistros augúrios, premonições. Armazenar víveres, como às vésperas de um furacão anunciado, mas víveres espirituais, intelectuais, e sem muito critério de qualidade. Muitos vídeos de chanchadas da Atlântida a Bergman; muitos CDs, de Mozart a Sula Miranda; muitos livros, de Nietzche a Sidney Sheldon. Controle remoto na mão e dezenas de canais a cabo ajudam bem: qualquer problema, real ou não, dê um zap na telinha e filosoficamente considere, vagamente onipotente, que isso também passará. Zaps mentais, emocionais, psicológicos, não só eletrônicos, são fundamentais para atravessar agostos. Claro que falo em agostos burgueses, de médio ou alto poder aquisitivo. Não me critiquem por isso, angústias agostianas são mesmo coisa de gente assim, meio fresca que nem nós. Para quem toma trem de subúrbio às cinco da manhã todo dia, pouca diferença faz abril, dezembro ou, justamente, agosto. Angústia agostiana é coisa cultural, sim. E econômica. Mas pobres ou ricos, há conselhos - ou precauções-úteis a todos. O mais difícil: evitar a cara de Fernando Henrique Cardoso em foto ou vídeo, sobretudo se estiver se pavoneando com um daqueles chapéus de desfile a fantasia categoria originalidade...Esquecê-lo tão completamente quanto possível (santo ZAP): FHC agrava agosto, e isso é tão grave que vou mudar de assunto já.

Para atravessar agosto ter um amor seria importante, mas se você não conseguiu, se a vida não deu, ou ele partiu - sem o menor pudor, invente um. Pode ser Natália Lage, Antonio Banderas, Sharon Stone, Robocop, o carteiro, a caixa do banco, o seu dentista. Remoto ou acessível, que você possa pensar nesse amor nas noites de agosto, viajar por ilhas do Pacífico Sul, Grécia, Cancún ou Miami, ao gosto do freguês. Que se possa sonhar, isso é que conta, com mãos dadas, suspiros, juras, projetos, abraços no convés à lua cheia, brilhos na costa ao longe. E beijos, muitos. Bem molhados.

Não lembrar dos que se foram, não desejar o que não se tem e talvez nem se terá, não discutir, nem vingar-se, e temperar tudo isso com chás, de preferência ingleses, cristais de gengibre, gotas de codeína, se a barra pesar, vinhos, conhaques - tudo isso ajuda a atravessar agosto. Controlar o excesso de informações para que as desgraças sociais ou pessoais não dêem a impressão de serem maiores do que são. Esquecer o Zaire, a ex-Iugoslávia, passar por cima das páginas policiais. Aprender decoração, jardinagem, ikebana, a arte das bandejas de asas de borboletas - coisas assim são eficientíssimas, pouco me importa ser acusado de alienação. É isso mesmo, evasão, escapismos, explícitos.

Mas para atravessar agosto, pensei agora, é preciso principalmente não se deter de mais no tema. Mudar de assunto, digitar rápido o ponto final, sinto muito perdoe o mau jeito, assim, veja, bruto e seco:.

21.8.06

EFEMÉRIDES

Há muito cultivo o hábito de usar agendas. Minhas agendas servem para marcar compromissos profissionais, alguns aniversários, mas, principalmente, servem para eu anotar idéias, frases, citações... colo recortes, registro situações, lavro atas de reuniões.
Até a escolha (ou não) da agenda do ano reflete o momento vivido. Algumas guardo com carinho, outras descarto sem piedade.
Bem... e foi na agenda que olhei as efemérides dessa semana e me surpreendi:
21/08 - Dia da habitação - esse eu tenho que comemorar. Minha casa é só minha, e devagarinho vai ficando do jeito que gosto. Mas acaso nosso país tem "cara-de-pau" pra comemorar habitação?
22/08 - Dia do Folclore - Livre-associação: saci-pererê. Sei que é triste, mas na escola, anualmente eu pintava um saci pererê fumando cachimbo pra comemorar o dia do folclore. Talvez seja um bom retrato da educação no Brasil...
23/08 - Dia da Injustiça e Dia dos Artistas - não acredito em coincidências, então fico imaginando razões pra que se comemore essas duas coisas na mesma data. Aliás, injustiça tem dia? Raios e trovões !!
24/08 - Dia da infância - qual a diferença do "12/10 - dia da criança"? Acho que a falta de divulgação no comérci. Ô Brasil!!
25/08 - Dia do Soldado e Dia do Feirante - e só me ensinaram a comemorar o dia do soldado, sendo que o feirante participa muito mais intensamente do meu cotidiano.
26/08 - Dia da Igualdade Feminina - e acaso tem quem comemore isso? Quem foi que disse que somos iguais??
27/08 - Dia da Limpeza Urbana - sem comentários. Melhor parar, que isso aqui não é propaganda eleitoral.

20.8.06

Ópera do Malandro

Fiquei com dor-de-cotovelo (ou a popular "inveja sem maldade") do Chefe dos Pinguins, Ordisi, que contou ter ido ver o Cirque du Soleil. Mas pra não ficar só na vontade, também vou contar que fui ao Teatro Pedro II assistir a "Ópera do Malandro", e nem precisei de tradutor universal pra me emocionar com as músicas. O Coral Minaz arrasou. Apaixonada pelo Chico Buarque, gosto de todas as músicas, mas escolhi uma pra mostrar que realmente chorei sozinha na platéia:


Uma Canção Desnaturada
Chico Buarque

Por que creceste, curuminha
Assim depressa, e estabanada
Saíste maquilada
Dentro do meu vestido
Se fosse permitido
Eu revertia o tempo
Pra reviver a tempo
De poder

Te ver as pernas bambas, curuminha
Batendo com a moleira
Te emporcalhando inteira
E eu te negar meu colo
Recuperar as noites, curuminha
Que atravessei em claro
Ignorar teu choro
E cuidar só de mim

Deixar-te arder em febre, curuminha
Cinquenta graus, tossir, bater o queixo
Vestir-te com desleixo
Tratar uma ama-seca
Quebrar tua boneca, curuminha
Raspar os teus cabelos
E ir te exibindo pelos
Botequins

Tornar azeite o leite
Do peito que mirraste
No chão que engatinhaste, salpicar
Mil cacos de vidro
Pelo cordão perdido
Te recolher pra sempre
À escuridão do ventre, curuminha
De onde não deverias
Nunca ter saído

19.8.06

Propagandas bem boladas !!

(VELHO BARREIRO)
(LEVITRA.TÃO RÁPIDO QUE VC NEM ESPERAVA. QUATRO VEZES MAIS VELOZ QUE O VIAGRA.) (TAP - VOOS DIRETOS BRASIL-PORTUGAL TODOS OS DIAS)
(FUCKING COOL . OFF. ON.)
(COOKIE. É BOM.)
(GOLF GENERATIONS. AGORA COM BANCOS EM COURO DA FÁBRICA)


Quem me mandou essas propagandas foi o Douglas, que não tem blog. Muito criativas, rs...

17.8.06

Dicas Mari & Ana - parte III - Economia e conserva de alimentos

Coloque os dentes de alho descascados dentro de um vidro com óleo de cozinha. Assim, eles não ficam ressecados e o óleo pode ser utilizado depois como molho para saladas. (Argh! Gosto de alho, mas não assim!)

Se você não tem paciência e nem tempo de descascar o alho toda vez que prepara a comida, pegue uma quantidade de alho que você usa na semana toda, descasque e esprema em um vidro, cubra com óleo e guarde na geladeira. Pode ser guardado durante uma semana. (Ou: compre daqueles desidratados, em pacotinho, que duram muito mais.)

Dê um sabor especial ao vinagre colocando na garrafa uma azeitona (Eu já tinha ouvido falar pra colocar azeitonas no óleo de soja, mas no vinagre... vou tentar.).

Para dar um aroma agradável ao vinagre, coloque no frasco algumas folha de manjericão ou alecrim e depois tampe bem (Ervas. Esse truque é velho.).

Retire a maionese que sobrou no fundo do vidro espremendo o suco de meio limão. A
mistura dará um ótimo molho para saladas.

Para guardar os ovos coloque-os com a parte mais pontuda para baixo, nesta posição eles duram mais Ervas (Putz! Descobriram isso com pesquisa científica? rs...).

Reaproveite o óleo usado na fritura colocando, quando ainda quente, algumas fatias de batata crua. A batata absorverá todo e qualquer sabor estranho ao óleo (Mesmo quando a gente fritou peixe?).

Para evitar que o açúcar fique empedrado, coloque dentro do recipiente algumas bolachas salgadas (aqui na minha terra o problema é a seca, e não a umidade.).

Para absorver a umidade, misture ao sal do saleiro alguns grão de arroz ou feijão.

Se guardar na geladeira metade da cebola, evite que ela resseque passando sobre o corte um pouco de manteiga (Acho que é mais barato jogar a cebola fora.).

Pó de café mantém o sabor por mais tempo se for guardado num recipiente bem fechado, dentro da geladeira (esse aí um Gato me ensinou! rs...).

Nunca guarde condimentos perto do fogão, pois eles perderão a cor e o sabor. Para que os condimentos continuem sempre frescos, guarde na geladeira (Dessa eu não sabia. Mas acho que vou precisar de uma geladeira extra!).

Para recuperar o queijo que ficou duro, é só deixá-lo de molho no leite de um dia para o outro (Argh! Melhor ralar e usar num gratinado, por exemplo.).

15.8.06

Frase

" Toda frase pra acabar precisa de um ponto."
(Valéria, que está de casa nova. )

Help!


Ganhei essa imagem maravilhosa de presente da Valéria, e gostaria de colocá-la como "template", mas não sei como fazer. Agradeço imensamente se alguém puder me ajudar.
Ah! E também estou tentando implantar o sistema de comentários haloscan... fiz cadastro, peguei código... e não sei onde colocar. Como é difícil essa minha vida de Anta!!

Mari


Seguinte: a Mari não teve tempo pra fazer o cadastro dela aqui no blogspot, mas mandou essa foto aí de baixo (ops! aí de cima!). Ela é a de relógio. A outra é nossa amiga Tábata, e o bonitão que está agarrando as duas é o Alberto. Podem mandar correspondências! rs...

14.8.06

Oh, querido, seja bonzinho comigo
E me escreva todos os dias
contando mentiras simpáticas...
Diga que sou a melhor
Das amantes que você já teve
Incluindo aquela princesa hindu
Exímia nas artes do Kama-Sutra
com minha vitalidade selvagem
capaz de te amar por dias e dias
Parando só pra fumar...
Só pra agradar o meu ego
Invente os mais loucos sonhos eróticos
Ambientados em lugares exóticos
Onde eu, rainha poderosa
Te resgato de horrendos perigos
E depois fornicamos, selvagens
Até nos fundirmos no mais bárbaro orgasmo
Se esmere nos adjetivos
Ao me escrever descabidas obscenidades
Usando a mais vulgar das linguagens
Pontuada de reticências maliciosas
Permita-me nesse desvario alcançar
A sublimação idealizada do mais básico instinto

(Madame Butterfly)

12.8.06

FICÇÃO IX

- Ele é casado.
Foi assim que a mãe dela a recepcionou quando Ana chegava do primeiro encontro com José.
O súbito frio na espinha:
- Como você sabe?
E a resposta:
- Sabendo. Dá pra perceber que ele é casado.
Não era esse o problema, Ana respirou aliviada. José era negro. Ana era branquíssima, até azulada, de tão branca.
E a família de Ana era preconceituosa. Esse, sim, era o problema.
Ana conheceu José num curso de pipas e dobradura. Ele era o instrutor, funcionário de uma ONG ou Fundação Cultural, ou... ele não sabia ao certo, nem queria saber, simplesmente apaixonou-se!
E pelo que ele demonstrou nesse primeiro encontro, foi recíproco. Conversaram por horas, caminharam de mãos dadas madrugada inteira.
A profissão o obrigava a viajar muito, portanto o namoro demorou uns dois meses para decolar de vez.
Depois foram mais uns 7 ou 9 meses de relacionamento feito de encontros e despedidas.
O telefone passou a ser um companheirão!
- Estou em Porto Alegre, anote o telefone do hotel!
Ele era atencioso, gentil, educado, carinhoso... tratava Ana de um jeito especial e novo para ela.
- Querida, Vitória é linda! Quando a gente casar quero me mudar pra cá!
Ela seguia sua rotina entre os encontros, ouvindo “máximas” do tipo: “Esse homem não toma banho! Você sai com ele e volta pra casa impregnada com seu fedor!”.
- Porto Seguro. O hotel de sempre, você já tem o número, quarto 117.
- Vejo você em dois dias, Ana... estou morrendo de saudade!
Naquele tempo não havia celulares:
- Deixe a confirmação gravada na secretária eletrônica que eu busco você na rodoviária.
E os assuntos nos encontros de família foram ficando interessantes. Um tio afirmou com veemência que os índios americanos eram antropologicamente mais evoluídos do que as tribos africanas, e isso tinha relação com a cor da pele. E Ana sorria, complacente e apaixonada.
Ana sempre teve riso fácil. Choro também.
Um dia, uma mulher atendeu o telefone no ap. de José.
- Quem é ela?
- Minha irmã. Ela cuida de minha casa nas ausências mais prolongadas. Estou indo pra Campo Grande.
- Cheguei de Manaus com muita, muita saudade!! Antes de ir pra casa eu precisava ver você!!
Ana falou com a irmã de José ainda umas 2 ou 3 vezes, até que aquela voz macia e simpática perguntou:
- Qual a sua idade?
- 23 anos, por quê?
- Ana... não sei como lhe dizer isso sem magoá-la, mas eu sou a esposa do José. Ele é casado.

11.8.06

Já Passou (Chico Buarque)

Já passou, já passou
Se você quer saber
Eu já sarei, já curou
Me pegou de mal jeito
Mas não foi nada, estancou
Já passou, já passou
Se isso lhe dá prazer
Me machuquei, sim, supurou
Mas afaguei meu peito
E aliviou
Já falei, já passou

Faz-me rir
Ha ha ha
Você saracoteando
Daqui prá acolá
Na Barra, na farra
No forró forrado
Na Praça Mauá, sei lá
No Jardim de Alah
Ou num clube de samba

Faz-me rir, faz-me engasgar
Me deixa catatônico
Com a perna bamba
Mas já passou, já passou
Recolha o seu sorriso
Meu amor, sua flor
Nem gaste o seu perfume
Por favor
Que esse filme
Já passou




(Mentira...)

10.8.06

Dicas do blog - FRITURAS

(Já que teve quem gostou, a série continua, rs...)

Um truque para que a fritura fique bem sequinha: antes de levar a gordura ao fogo acrescente uma colherinha de álcool. Mas, lembre-se que a gordura deve estar fria, para evitar que o fogo se forme na frigideira!

Um dos piores tormentos na hora de fazer uma fritura é o óleo espirrar. Para evitar isso, quando temperar os bifes adicione o óleo juntamente com o tempero e nunca na frigideira. Outra dica é salpicar um pouco de sal no fundo da frigideira antes de acrescentar os alimentos.

Para que não respingue gordura na fritura dos bifes, ponha um pouco de óleo na carne na hora de temperá-la. Depois coloque-a numa panela e não use mais o óleo.

Quer batatas fritas crocantes e sequinhas?
Coloque óleo suficiente na panela de pressão. Deixe esquentar. Coloque as batatas. Coloque a tampa sem a válvula. Deixe por 20 minutos + ou -. Você perceberá que o óleo fica limpinho, gasta-se pouquíssimo, as batatas ficam crocantes e não encharca.

Para dar um sabor especial às batatas fritas, coloque duas rodelas de cebola um pouco antes de tirá-las do fogo.

Não jogue fora a casca da batata. Frite em óleo quente, tempere com sal e sirva como aperitivo.

Antes de fritar a banana, passe-a na farinha de trigo. Assim ela não ficará encharcada na gordura.

Para o frango frito ficar dourado e sequinho, sem grudar na panela, coloque uma colher de sopa de maisena no óleo de fritura bem quente.

Para que a lingüiça fique deliciosa, ferva antes em um pouco de água. Quando a água secar, deixe que ela frite na própria gordura, sem acrescentar óleo.

Um dente de alho no óleo das frituras absorve o cheiro e o excesso de gordura.

O ovos fritos ficarão com as claras bem brancas e sem beiradas esturricadas se, logo após terem sido colocados na frigideira, receberem uma ligeira borrifada de água fria.

Frite os bifes na margarina, em vez de óleo. Eles não encolherão e ficarão bem mais macios.

7.8.06

Comentários...


Seguinte, preciso de tempo pra aprender a responder os comentários por aqui. E também pra acabar de ajeitar o cantinho. Mas meu menino (esse lindão aí de baixo) está doetinho desde sábado... está difícil conciliar tudo. Prometo me esforçar! Beijos!!

6.8.06

Porta-retrato





E pro lugar ir pegando o "meu cheirinho" (no bom sentido, é claro!) vou colocar uma foto minha com o filhote, no final de semana passado, quando ele recebeu a faixa verde do judô.




BILHETE (Mário Quintana)


Se tu me amas,
ama-me baixinho.
Não o grites de cima dos telhados,
deixa em paz os passarinhos.
Deixa em paz a mim!
Se me queres,enfim,
tem de ser bem devagarinho,amada,
que a vida é breve,e o amor
mais breve ainda.

5.8.06

Casa nova

Bem... cá estamos nós. As mudanças sempre são um pouco confusas. Eu preciso de algum tempo pra me adaptar ao novo espaço. Tomara que esse dure um pouco mais que o anterior! rs...