24.8.06

Verdades do Mau Humor

(Texto creditado a Lula Vieira - publicitário)

Não me lembro direito, mas li numa revista, acho que na Carta Capital, um artigo levantando a hipótese de que todo o cara que tem mania de fazer aspas com os dedinhos quando faz uma ironia é um chato.
Num outro artigo alguém escreveu que achava que jamais tinha conhecido um restaurante de boa comida com garçons vestidos de coletinho vermelho. Joaquim Ferreira dos Santos, em "O Globo" de domingo, fala do seu profundo preconceito com quem usa "agregar valor". Eu posso jurar que toda mulher que anda permanentemente com uma garrafinha de água e fica bebendo de segundo em segundo é uma chata. São preconceitos, eu sei. Mas cada vez mais a vida está confirmando estas conclusões.
Um outro amigo meu jura que um dos maiores indícios de babaquice é usar o paletó nos ombros, sem os braços nas mangas. Por incrível que pareça, não consegui desmentir. Pode ser coincidência, mas até agora todo cara que eu me lembro de ter visto usando o paletó colocado sobre os ombros é muito babaca.
Já que estamos nessa onda, me responda uma coisa: você conhece algum natureba radical que tenha conversa agradável? O sujeito ou sujeita que adora uma granola, só come coisas orgânicas, faz cara de nojo à simples menção da palavra "carne", fica falando o tempo todo em vida saudável é seu ideal como companhia numa madrugada? Sei lá, não sei. Não consigo me lembrar de ninguém assim que tenha me despertado muita paixão.
Eu ando detestando certos vícios de linguagem, do tipo "chegar junto", "superar limites", essas bobagens que lembram papo de concorrente a big brother. Mais uma vez, repito: acho puro preconceito, idiossincrasia, mas essa rotulagem imediata é uma mania que a gente vai adquirindo pela vida e que pode explicar algumas antipatias gratuitas.
Tem gente que a gente não gosta logo de saída, sem saber direito por quê. Vai ver que transmite algum sintoma de chatice. Tom de voz de operador de telemarketing lendo o script na tela do computador e repetindo a cada cinco palavras a pressão "senhoooorrr" me irrita profundamente. Se algum dia eu matar alguém, existe imensa possibilidade de ser um flanelinha. Não posso ver um deles que o sangue sobe à cabeça. Deus que me perdoe, me livre e me guarde, mas tenho raiva menor do assaltante do que do cara que fica na frente do meu carro fazendo gestos desesperados tentando me ajudar em alguma manobra, como se tivesse comprado a rua e tivesse todo o direito de me cobrar pela vaga.
Sei que estou ficando velho e ranzinza, mas o que se há de fazer? Não suporto especialista em motivação de pessoal que obrigue as pessoas a pagarem o mico de ficar segurando na mão do vizinho, com os olhos fechados e tentando receber "energia positiva". Aliás, tenho convicção de que empresa que paga bons salários e tem uma boa e honesta política de pessoal não precisa contratar palestras de motivação para seus empregados. Eles se motivam com a grana no fim do mês e com a satisfação de trabalham numa boa empresa. Que me perdoem todos os palestrantes que estão ficando ricos percorrendo o país, mas eu acho que esse negócio de trocar fluidos me lembra putaria.
E para terminar: existe qualquer esperança de encontrar vida inteligente numa criatura que se despede mandando " um beijo no coração "?

12 comentários:

Márcia(clarinha) disse...

Putzzzzz, exigente o carinha,rsss
mas muita coisa dá pra concordar e um beijo no coração,vamos falar sério, é phoda né não? rsss
lindo dia querida,
beijosssssss
*amanhã te passo e-mail

Lili disse...

Em muita coisa ele tem razão, mas também não tem lá muito bom humor quem se prende a essas besteiras. Você conhece algum simpático que repara quantos goles d'água a moça toma enquanto caminha? Eu não. Um beijão e ótimo dia!!

Ana Carla disse...

Hehehe... o que eu achei melhor, no texto, é ele se reconhecer mau-humorado. Isso vindo de um homem é raridade!! rs...

Sheila disse...

Olá, maravilhoso texto, hilário...ri descontroladamente, as pessoas que trabalham ao meu redor tão me achando louca...

Ah, pra você um bom final de semana e "beijos no coração"

Hahahaha

Fui!

leao_capri disse...

chato é tentar se cadastrar nisso aqui, putz

Tiago disse...

hahaha... adorei. essa cara é bom, pena que a empresa dele faliu. beijo.

Tiago disse...

hahaha... adorei. essa cara é bom, pena que a empresa dele faliu. beijo.

Tiago disse...

hahaha... adorei. essa cara é bom, pena que a empresa dele faliu. beijo.

armando disse...

Assino tudinho em baixo...Bjks.

Kafé Roceiro disse...

Gostei pacas do texto e já que tocou no assunto vou falar algumas coisas que também odeio, preconceito sei, mas odeio:
-quem cumprimenta com mão molenga
-Quem não olha no olho quando fala
-quem põe óculos no pescoço
-quem fala demais e não deixa os outros falarem.
Ah! tá bom, né? Sò uma brincadeira... Beijos.

Ana Carla disse...

Sheila, que bom que é dar boas gargalhadas!! rs...

Leão, vc fez um blog??
Não consegui entrar...

Tiago, adorei sua volta. Não conheço nada desse publicitário... nem sabia que teve uma empresa que faliu.


Armando, lá no fundinho, todos concordamos, rsrs...

Kafé, acho que preciso controlar minha fala, rsrs... mas costumo dar chance pros outros. Beijão!!

Markus disse...

O texto esqueceu de algumas pérolas, tipo:
"Lindo de viver" muito usado pelas apresentadoras de programas femininos atuais.
"a nivel de ser humano aquele cara é muito gente" - sem comentários
Tem também o chato clássico que te dá uma aula contra o tabagismo quando descobre que voce é fumante.
Grsssss