29.8.06

Serenatas

Vocês sabem que eu ainda sou uma menina. Vivi minha adolescência na década de 80, frequentando discoteques com luz estroboscópica (uau!) e globo de espelhos.

Naquele tempo as serenatas já tinham caído em desuso. No entanto...

Você também sabem que moro numa cidadezinha do interior, onde alguns costumes são preservados. E se isso é por demais conservador em alguns pontos, noutros é deliciosamente aconchegante!

O fato é que na década de 80, em Jardinópolis, ainda se fazia serenata, e eu recebi algumas ma-ra-vi-lho-sas!!

Tina serenatas-surpresa e serenatas-anunciadas. Quando os garotos avisavam "vamos fazer serenata na sua casa hoje à noite", era de bom tom deixar algumas guloseimas na mesa da varanda: quando minha casa estava no início do roteiro (e isso também era avisado) eu deixava alguma bebida no balde de gelo (martini, cervejas ou vinho) e petiscos (amendoins, azeitonas, patês).

Quando o caminho era inverso, eles chegavam na minha janela com o dia já clareando, e eu deixava sobre a mesa uma boa garrafa de café, frutas, pães... Houve oportunidade em que minha mãe (no fundo, outra menina crescida) preparou uma canja tão gostosa para os seresteiros, que na semana seguinte o violonista tinha ido viajar e o resto da truma fez serenata com radinho de pilha, pra ver se conquistava outra canja!! rs... Abri a janela e me deparei com uma dúzia de marmanjos segurando um radinho de pilhas que mais chiava do que tocava uma moda caipira, todos olhando com cara de "cachorro pidão" !

Mas também havia a surpresa. O coração disparado na madrugada, quando o primeiro acorde era tocado. A voz era quase sempre a mesma (e eu nunca soube se o único músico da turma chantageava os amigos ou cantava em todas as janelas por puro prazer)... Tínhamos que controlar a ansiedade e esperar o final da primeira música para acender a luz.

Enquanto a segunda música era executada, a gente tentava adivinhar "de quem e para quem" era a serenata. Sim, porque na minha casa, durante as férias e finais de semana prolongados (quando normalmente as serenatas aconteciam), dormíamos eu, minha irmã e mais quatro primas, todas na mesma faixa etária. Era muita mulher junta!! rs...

Depois vinha a avaliação: abrir ou não abrir a janela. Ô dúvida!!
Que saudade boa! Obrigada Ninão, Barata, Cascão, Passarinho, Melão, Ratinho, Pé-Mole, Tula, e todos os outros. Vocês ajudaram a fazer de mim essa mulher feliz!!

15 comentários:

Tiago disse...

ei, moça. eu já fiz serenata com índios, da legião urbana. beijo.

Lili disse...

Essa turma mudou de nome, né? Bricadeira à parte, este texto é maravilhoso. Bateu uma saudade de umas coisas!!!! Beijos1

Valéria disse...

ui! inveja! rs
beijo

Ordisi disse...

Eu também fiz serenata, mas o máximo que ganhei foram uns tiros para o ar do pai ciumento, hehehe.

Beijos.

Dono do Bar disse...

Você é que foi feliz. Certa vez um bêbado deitou em frente ao meu apartameto e cantou por quase duas horas (bêbado cantor é o pior tipo). Foi o mais perto que cheguei de serenatas.

Beijos, linda.

DB.

Anônimo disse...

Oi sou o marido da Sheila e resolvi dar uma olhada em alguns blogs e retribuir algumas visitas que recebi, adorava a decade de 80 e acho muito legal lembrar de algumas serenatas que já vi. Nada como alguns costumes de uma cidade do interior.

Markus disse...

Cantei muito no passado, mas nao sei se encantei. Os cantores notúrnicos sempre recebiam um obrigado feliz e sonolento, além do cabelo armado e cara inchada. Nada como despertar uma dama em grande estilo. Porém nunca ganhamos guloseimas. Se eu soubesse dessa idéia, teríamos instituído o pedágio.

Ana Carla disse...

Tiago, Legião é melhor que duplas caipiras, lhe garanto!!

Lili, sabe que há anos não encontro nenhum deles!! rs... Mas os apelidos faziam parte da brincadeira. Boa sorte com seu PC!

Valéria... eu estava com saudade de vc!

Poxa, Chefe Ordisi! Ainda bem que sabe correr!! rs...

Senhor Dono do Bar, prometo lhe fazer uma serenata em grande estilo, qualquer noite dessas. Mas não vai custar barato, hehehe... (esfregando as mãos...).


Oi, Carlinhos (marido da Sheila) ! Apareça sempre!!


Markus, acho que na sua terra as moças ignoravam o ditado que diz que homem se conquista pelo estômago!! rsrs... Adorei sua versão das damas sonolentas!! rsrs...

Armando disse...

Que legal, Ana Carla! Nunca soube aquí na minha city duma serenata nesse estilo (com hora marcada e comes e bebes).Essa turma é que era feliz.Bjks.

marcos pardim disse...

bem que você avisou mesmo que iria escrever sobre as tuas serenatas... tenho algumas historinhas com serenatas, mas deixe elas para lá... escuta, ana carla, quer dizer que foram estes daí que fizeram de vc uma mulher feliz, né (rssss)... bom dia!!!

Kafé Roceiro disse...

Só moça bonita é que ganha serenata, sinal de que você é muito bela.

Sheila disse...

Eu tinha certeza de que tinha comentado este post....sumiu???
Beijos

Lili disse...

Hello!!! Beijos! ;)

Ana Carla disse...

Armando, acho que faltou comunicação, hehehe...

Marcos Pardim, senti certa ironia no seu comentário!!! rs... Esses meninos fizeram parte da minha adolescência!

Ô, Kafé... obrigada! Mas a beleza não é meu ponto forte! Por outro lado, acho que ela (a beleza) está nos olhos de quem vê. Ah! Tem foto minha, lá nos primeiros posts. Beijão!

Sheila, quem comentou por aqui foi Carlinhos.

Hi, Lili!! Tem notícias do seu micro? Beijão!!

Marco Santos disse...

Huuummm, momentos antigas ternuras! E que ótimas lembranças! Eu já fiz minhas serenatas, também. Um dia desses eu conto lá no AT.
Bem legal, Ana!
Beijo!